Perguntas Frequentes

Muitas pessoas fazem essa pergunta, pois, dado o grande predomínio das construções de alvenaria no nosso país, ficam com dúvida se a casa de madeira tem realmente vantagens sobre a sua alternativa. Listamos algumas qualidades de muitas que favorecem a casa de madeira.
1) Rapidez na construção;
2) Racionalidade da obra e ausência de desperdício de materiais;
3) Acabamentos de forma prática e eficaz;
4) Durabilidade de gerações;
5) Baixo custo de conservação;
6) Conforto térmico;
Claro. Existem várias alternativas. Os projetos padrão sugeridos pela BRAGANÇA CASAS visam responder a um variado leque de necessidades, no entanto podem não corresponder ao que o cliente pretende. Neste caso, os projetos podem sofrer alterações de acordo com as preferências do cliente, sendo adaptados às suas necessidades específicas. Existe, ainda, a opção de trazer os seus próprios desenhos, para que, em conjunto, possamos definir as melhores soluções.
Qualquer casa pode ser construída pela Bragança Casas com a ideia original do cliente.
Casas feitas da madeira maçaranduba duram tanto ou mais do que uma de alvenaria, exigindo pouca manutenção, restringindo-se apenas à renovação do verniz ou da pintura, quando estes se apresentarem desgastados. Com pequenos cuidados a casa de madeira dura gerações preservando sempre o conforto, a beleza e a nobreza da madeira.

Se considerarmos uma casa de alvenaria com a mesma qualidade de acabamento e condições de habitabilidade, seguramente a alternativa em madeira será mais competitiva. Tanto pela rapidez da montagem, como pela facilidade do acabamento, passando pelas diversas economias no local das obras, os custos envolvidos poderão ser menores no caso da construção em madeira. Não há desperdício de material, já que o kit de madeira incorpora todos os componentes estruturais da casa (paredes, pilares, prumadas, vigas, caibros, ripas) além dos batentes, janelas, portas, forro, tabeiras, rodapé e outros itens de acabamento.
Opcionalmente ainda podem ser incluídos no kit, o assoalho, deck, parapeitos e subcobertura.
No final, tudo resulta numa obra racional, limpa e rápida, o que se traduz em economia adicional.
Tendo o processo de “chave na mão” a obra já com acabamento, pisos e revestimentos, elétrica e hidráulica.

Normalmente, em 120 dias (contados a partir do início das fundações) a casa estará pronta para ser habitada.
Considera-se 20 dias para o preparo da base, mais 25 dias, em média, para a montagem do kit (casa de, mais ou menos, 130 m2, (podendo variar de acordo com a metragem da obra)), cobertura, instalação de portas, janelas, etc. e os restantes 75 dias são necessários para os acabamentos finais, tais como colocação de pisos, execução da hidráulica, pintura (verniz ou tinta).
É comum algumas obras terminar antes ou ate mesmo depois. Alguns demoram mais, mas, uma vez edificada a vertente das madeiras, o cliente escolhe o tempo que melhor lhe convém.

A probabilidade de ocorrer infiltrações numa casa de madeira é a mesma que numa casa de alvenaria, ou seja, não depende do material de construção utilizado, mas sim da correta execução do emboço do telhado, do uso de telhas de boa qualidade, da aplicação bem realizada de calhas e rufos nos locais indicados… A colocação de mantas impermeabilizantes (subcobertura) também é recomendada, independentemente do tipo de construção.
“E se alguma peça de madeira empenar?”
Independentemente do tipo e da qualidade da madeira, pode existir alguma peça, dependendo de determinadas características peculiares (como a distribuição das fibras, teor de humidade, esforços aplicados, etc), que pode apresentar um defeito designado “empenamento”. Normalmente, este problema ocorre somente durante a fase de secagem da madeira, isto é, enquanto esta não atinge o teor de humidade de equilíbrio com o meio ambiente alguma peça pode empenar.
Uma vez que os componentes da casa são montados ainda com teor de humidade acima do ponto de equilíbrio, ocorrerá uma secagem natural durante e após a construção. É durante este período secagem natural (geralmente dura por volta de seis meses, podendo chegar até um ano) que está sujeito o fenómeno “empenamento”.
Na maioria dos casos não é necessária nenhuma correção, pois são ocorrências pouco pronunciadas e que não trazem qualquer comprometimento estético ou funcional.
Devido à funcionalidade das nossas construções, a eventual substituição de peças, feita por pessoal qualificado, é simples e rápida.

O que determina o valor de um imóvel é a sua localização, qualidade do acabamento, conservação, aspecto geral do enquadramento paisagístico, funcionalidade da planta, etc.
Nesse aspecto, uma residência em madeira de boa qualidade tem os mesmos condicionantes que construções em alvenaria e responde igualmente aos fatores do mercado.

As madeiras duras utilizadas para construir as casas Bragança Casas vêm do Mato Grosso.
Na atualidade, é uma exigência, rigidamente fiscalizada pelo IBAMA, que toda a empresa dedicada à produção de madeiras de lei tenha um projeto de manejo sustentado, de modo a garantir a perenidade da fonte de matérias primas, tanto pela reposição como pela indução da recuperação natural das áreas exploradas, mediante técnicas florestais constantemente aperfeiçoadas.
Toda a madeira bruta transportada no Brasil deve ser acompanhada de um guia florestal que comprova a origem da mesma e a sua adequação às normas federais.
A Bragança Casas escolhe os seus fornecedores considerando o efetivo comprometimento dos mesmos com os regulamentos vigentes emanados do IBAMA, tendo em vista o correto aproveitamento dos recursos naturais renováveis.
Muitas das madeiras macias que utilizamos são de florestas devidamente sustentáveis onde o mercado madeireiro vive em comunhão com a natureza, defendendo aquela que é a razão da sua sobrevivência.

O que pode causar o apodrecimento de certos tipos de madeira, sob condições propícias, é o ataque de fungos que agem na presença de humidade constante e em contato com o ar.
Algumas espécies são mais suscetíveis ao ataque de fungos; outras, mesmo nas mais adversas condições, são extremamente resistentes à atuação desses agentes (como,por exemplo,o Angico, Itaúba, Jatobá, Maçaranduba, Tatajuba, Cumaru e Ipê).
É importante referir que, numa residência, é praticamente impossível o estabelecimento de condições ideais para o ataque de fungos, mesmo em áreas molhadas como é o caso da casa de banho e da cozinha.

Nas casas construídas pela Bragança Casas é bastante simples a execução de alterações, acréscimos ou eliminação de paredes, desde que feitas, é claro, por profissionais habilitados pela empresa.

error: Conteúdo protegido