MADEIRA OU ALVENARIA?

Escolher o material para construir ou reformar uma casa é a base para o conforto, qualidade, sustentabilidade, custo/benefício e design.
Para atender a esses critérios, tanto o tijolo quanto a madeira podem ser opções tanto práticas quanto belas.
Elas também vêm numa variedade de cores, acabamentos, tratamentos e estilos.
Pode construir uma casa toda de tijolos, uma casa de painéis de madeira, uma casa de madeira, ou fazer uma combinação entre os materiais.

Não são muitos os casos, mas já existem casas de madeira onde normalmente só havia casas feitas de alvenaria ou construção tradicional.

A casa de alvenaria é aquela feita com tijolo, bloco e cimento e é praticamente unânime este modelo de construção no nosso País.

O título informativo e de curiosidade está provado que o isolamento térmico da madeira é seis vezes maior ao do tijolo, 15 vezes superior ao do Betão, 400 vezes superior ao aço e 1770 vezes superior ao alumínio.

Assim, é possível manter o ambiente interior quente no Inverno e fresco no Verão, com poupanças de energia que podem ultrapassar os 50% em relação às construções de alvenaria ou pedra.

Uma parede de madeira com 17 cm de espessura equivale à outra em cimento com 40 cm.

Com base em apenas dois parágrafos vem à pergunta, se valerá mesmo a pena continuar a construir no método convencional ou se devemos optar pela construção em madeira.

Tem de ter a noção de que o tijolo é ligeiramente mais caro do que a madeira.

A sua construção sólida pode representar um obstáculo para reformas básicas ou acréscimos, caso deseje alterar a estrutura. Para morar pelo resto da vida, a manutenção de um imóvel de alvenaria é mais caro e mais frequente do que para imóveis de madeira, principalmente após os primeiros 10 anos da construção dos mesmos.

Então, de uma forma clara e simplificada, vai-se tentar mostrar as principais diferenças em construir uma casa de madeira ou construir uma casa de alvenaria, atualmente.

 

CASA DE ALVENARIA

A construção tradicional tem como vantagem o fato da sua estrutura ser mais robusta. Já é um histórico enorme esse tipo de construção.

Normalmente, quando é bem construída, ela é mais cara, mas aparentemente torna a construção mais robusta e sucessível, a menos que tenha problemas de manutenção e talvez até de vida útil.

Tem como uma desvantagem o fato de ser demorado o processo de construção e de se exigir bastante mão de obra para a execução do trabalho.

 

Vantagens de uma casa de alvenaria

É uma escolha natural e os tijolos para alvenaria podem vir em vários tons e tamanhos, fabricados dos mais diversos materiais disponíveis. Os tijolos de alvenaria protegem a sua casa de danos durante tempestades particularmente agressivas. A alvenaria é à prova de térmita e durável durante um longo período de tempo. Em adição a isto, a manutenção da alvenaria e o seu acabamento consiste, geralmente, em remover a tinta existente e pintar com uma nova tinta.

Como as construções de alvenaria são estáveis, quando feitas com material de boa qualidade, as estruturas centrais e de sustentação para os tijolos podem durar centenas de anos, se receberem a devida manutenção periódica também.

 

Desvantagens para casas de alvenaria

As desvantagens do tijolo estão largamente relacionadas com a qualidade dos materiais utilizados, em geral. Este material é mais caro do que a madeira, salvo exceções.

Ele não pode ser demolido ou movido facilmente e, às vezes, os tijolos tem uma forma irregular.

Em áreas húmidas e onde há certa variação na temperatura, o tijolo pode ser vulnerável a mofo, porque ele expande e contrai com temperaturas frias, e possui poros onde o mofo e a humidade se podem acumular.

Quando um tijolo é quebrado, rachado, danificado, ou queimado, normalmente vão precisar de substituição e reparos que necessitam de uma nova argamassa, reboco, e acabamento. Isso é ainda mais frequente quando há problemas com infiltrações, canos, ou com a rede elétrica, pois estes estão geralmente embutidos no tijolo.

O acabamento de uma casa de alvenaria é também mais caro e demorado para ser feito e terminado, e os erros durante a construção ou reforma são mais custosos e demorados para consertar.

No que diz respeito ao incêndio, uma casa de alvenaria com o ferro que tem nas paredes tem um comportamento irreparável, ou seja, com a alta temperatura de um incêndio o ferro dilata e as paredes fissuram, racham e caiem. O único resultado é reconstruir (isto é comprovável).

CASA DE MADEIRA

 

A madeira é linda e sensata para casas permanentes e chalés. É biodegradável, acessível, saudável e segura. As casas de madeira respiram, absorvem e expulsam a humidade. Filtram e purificam o ar, regularizando assim o meio ambiente interior, o que contribui para evitar doenças reumáticas, respiratórias, entre outras.

Por outro lado, as propriedades acústicas da madeira são amplamente reconhecidas: absorve uma parte importante da energia das ondas sonoras que recebe, com a consequente redução da poluição acústica.

A casa em madeira é uma casa silenciosa e reduz o stress de quem a habita. Casas de madeira são mais fáceis de renovar, modificar e construir do que casas em tijolo.

Madeira devidamente tratada contra apodrecimento pode durar séculos. Madeiras e árvores mais velhas são fortes e duráveis, e a madeira é uma boa solução para quem quer construir uma casa de repouso, em ambientes naturais, ou para fins ambientalmente saudáveis.

 

 

 

 

 

 

 

 

Vantagens de uma casa de madeira

 

Normalmente, casas de madeira tem um custo mais acessível do que casas de alvenaria.

Estes tipos de casas são bastante fáceis de trabalhar, além de o material ser mais leve.

A madeira é encontrada com um pouco mais de dificuldade do que a alvenaria, mas mesmo para a construção de casas, boa madeira de qualidade, pode ser encontrada em qualquer lugar, e com a globalização, é cada vez mais fácil ter acesso à importação de excelente qualidade de matéria prima.

Estas moradias podem ser encontradas nos lugares mais habitáveis ​​na terra, pois já provou ser um material de construção confiável ao longo de milhares de anos. Em áreas onde sedimentos se acumulam propensas à erosão, e o clima é muito seco, a madeira torna-se uma melhor opção porque esses sedimentos danificam a alvenaria, enquanto a madeira consegue resistir melhor, inclusive ao vento.

A madeira é também um ótimo isolante térmico. Nas noites de frio você terá uma melhor forma de manter o seu calor e de se manter quente. Como a madeira absorve humidade, é um condicionador de ar natural.

Outra vantagem considerável é que a madeira é mais flexível do que os tijolos e pedras para alvenaria. Isso faz da madeira um material mais fácil de trabalhar. Isto é especialmente verdadeiro para desenhos incomuns de casas e construções.

Alguns tipos de madeiras são capazes de liberar terpenos, uma substância que acalma a mente e o corpo. Isto é conhecido como o “efeito de banho de floresta”.

Reparações e a manutenção de uma casa de madeira, mesmo para problemas estruturais, são bem mais baratas de consertar do que para casas de alvenaria. Canalizações, redes elétricas, acabamentos, troca de madeira danificada, tudo fica mais barato com madeira.

Construir uma casa de madeira é também mais rápido do que uma casa de alvenaria.

No que diz respeito aos Incêndios, que é mais uma questão que infelizmente a maioria das pessoas alega só que comprovadamente, existem testes e não só; que o demonstram: uma casa de madeira resiste ao fogo muito mais e com menores danos que uma casa de alvenaria. Um tronco de madeira de 140 mm de espessura leva cerca de 2 horas a arder (a madeira arde cerca de 0,12 mm por minuto), e isto depende da sua densidade, e tem recuperação.

 

Desvantagens para casas de madeira

O desgaste da madeira através dos anos é o maior motivo que leva as pessoas a preferir casas de alvenaria. Poderá, eventualmente, ter que se preocupar com os danos das térmitas, o que não é o caso em Portugal Continental. Apenas nos Açores existem algumas colónias de térmitas.

A madeira é um material que se pode expandir e contrair até se habituar às temperaturas e ao meio ambiente que a rodeia.

A mão de obra para casas de madeira, em geral, tende a ser mais cara, apesar dos materiais serem mais baratos. Isso é devido à disponibilidade de profissionais nesta área.

 

Qual o melhor tipo de construção para onde moro?

Talvez essa seja a pergunta mais importante a fazer quando estiver a comparar casas de madeira e casas de alvenaria. Deve considerar o clima da sua região, o custo dos materiais, a mão de obra disponível, o tamanho da casa ou construção, etc.

Ter em conta o tipo de clima que se faz sentir na sua região, pois a escolha pela cobertura mais adequada é um fator muito importante. Se for uma zona muito chuvosa ou com um Inverno rigoroso, se calhar, a melhor opção recai sobre telhados convencionais em telha cerâmica, de forma a evitar possíveis infiltrações.

Tendo em conta tudo o que foi dito até agora, fica uma questão no ar.

 

CUIDADOS A TER NA AQUISIÇÃO DE UM TERRENO
Depois de algum tempo pensando na sua casa ideal, procurando por tudo quanto é lado, você chega finalmente à conclusão de que ela não existe ou então, se fosse construída por si ficaria bem mais barato! Tendo isto em conta e com o intuito de realizar o seu sonho, Você resolve dar o primeiro passo: comprar o terreno.

O melhor passo antes de começar a procura do terreno é ter em mente os desejos e pretensões para o espaço.

  • Como gostaria que fosse a casa que deseja construir?
  • Gostaria que ela fosse ampla? Térrea?
  • A vista é importante?
  • O silêncio?
  • O contato com a natureza?
  • A localização?

É importante ter em linha de conta estes aspectos.

Atendendo que você é uma pessoa singular, este artigo vem elucidá-lo a ter algumas considerações que os profissionais apagam assim que observam um terreno para construção. Isto serve para evitar dores de cabeça futuras.

O primeiro alerta é obvio, nunca compre um terreno sem o visitar primeiro. Veja com os seus próprios olhos a fim de conferir todas as informações que tem sobre determinado terreno. Não confie nem em fotos nem na palavra de conhecidos. Nunca compre um terreno sobre qualquer tipo de pressão, informe-se sempre primeiro junto das autoridades competentes para que estas lhe deem o devido aval sobre as condições do terreno e o que é possível fazer com ele.

A capacidade construtiva de um terreno depende da conjugação de vários fatores de ordem técnica, que impossibilita uma resposta imediata. Para saber sobre a viabilidade de construção é necessário conhecer o terreno onde se pretende construir e após a consulta dos instrumentos de gestão territorial, designadamente o PDM (Plano Diretor Municipal), é que existem condições para avaliar as condicionantes que o terreno está subjugado para construção. É importante confirmar que o terreno não está localizado em área de utilidade pública ou de interesse social, para não correr o risco de ter o terreno desapropriado.

Além de confirmar a viabilidade de construção, em situações específicas é aconselhável remeter à Câmara Municipal um pedido de informação prévia. Isto consiste na elaboração e submissão à apreciação da entidade mencionada anteriormente por qualquer interessado, a título prévio, de informação sobre a viabilidade de realizar determinada operação urbanística ou conjunto de operações urbanísticas, bem como sobre os respetivos condicionamentos legais ou regulamentares, nomeadamente relativos a infraestruturas, servidões administrativas e restrições de utilidade pública, índices urbanísticos, cérceas, afastamentos e outras condicionantes aplicáveis à pretensão.

A informação prévia favorável por parte da Câmara Municipal vincula a decisão sobre um eventual pedido de licenciamento, ou seja, se a Câmara Municipal se pronunciou favoravelmente no processo de pedido de informação prévia, não pode depois de submetido o projeto para licenciamento e no período de um ano (mantendo-se os mesmos pressupostos do anterior) proceder à sua rejeição.

Outras informações úteis para uma boa escolha do terreno são:

  • Orientação Solar;
  • Entorno da casa;
  • PDM;
  • Declive;
  • Árvores;
  • Largura do terreno.

No caso da orientação solar, é importante saber para que lado esteja voltado o terreno. Este é um aspecto simples e indispensável de se verificar. O Sul representa o local do seu terreno que irá receber a maior parte da radiação solar diária (estando nós no hemisfério norte) e basta um bom beirado ou algo que permita obter sombra, para minimizar o sol em excesso. O Este é o sol nascente, o sol da manhã, que rapidamente sobe no horizonte. E o Oeste, sol da tarde, o mais temível, pois é ele que pode ofuscar e sobreaquecer a sua sala no final do dia, ainda que garanta um belo pôr do sol! O Norte apanha muito pouco sol e não se corre o risco de calor em excesso, mas caso o terreno esteja cercado por prédios com exceção do lado virado a Norte, a habitação pode ter um problema de falta de radiação solar.

 

No caso do entorno da casa verifique quem são os seus “vizinhos”!

  • São muito grandes?
  • Bloqueiam o sol ou a vista?
  • É uma zona com muito comércio?
  • Existe algum parque/jardim por perto?

 

O PDM, Plano Diretor Municipal, é um documento regulamentar do planeamento e ordenamento do território de um dado município. Neste documento está definida a organização municipal do território, onde se estabelece a referencia espacial dos usos e atividades do solo municipal através da definição de classes e categorias relativas ao espaço, identificando as redes urbanas, viária, de transportes e de equipamentos, de captação, os sistemas de telefonias, tratamento e abastecimento de água, entre outras.

Quanto ao declive, é sempre um fator importante. Muitos têm medo de terrenos muito íngremes, mas esses terrenos, em geral, custam menos. A obra pode ser um pouco ou, até, muito mais cara do que um terreno plano, mas um bom projeto arquitetônico é capaz de obter resultados fantásticos.

Em relação às árvores, é muito importante verificar a questão de mata e árvores que podem existir no seu terreno. As árvores são protegidas por diversas legislações, sendo estas bastante severas. Caso queira cortar alguma delas há procedimentos de compensação que devem ser seguidos. E é sempre interessante imaginar que a vegetação pode ser absorvida de alguma forma no projeto da casa.

Especial atenção à questão da largura do terreno, pois quanto mais largo for o terreno, melhor ficará a disposição da casa. Melhor ficará a iluminação e ventilação da casa, pois a possibilidade de colocar janelas é maior devido aos afastamentos laterais exigidos por lei.

Agora que já viu esclarecidas todas as dúvidas e uma vez que o terreno já vai ao encontro dos seus requisitos, acha que já pode comprar o terreno?

Calma, não sejamos ansiosos! É melhor verificar primeiro se o terreno tem o imposto, IPTU, em dia. Caso contrário, depois da compra você acabará sendo responsável pelas dívidas pendentes do terreno.

Por último, confirme se o imóvel está registrado e peça uma certidão, pois só assim você poderá ter certeza de quem é o verdadeiro e atual proprietário do terreno e se o imóvel tem alguma penhora associada a ele. Ter especial atenção para o caso de o dono do terreno que pretende comprar, ser solteiro, mas estar em situação de união de fato, porque nesta situação o (a) companheiro (a) também precisa concordar com a venda. Concluindo a compra de um terreno você recebe uma planta com as medidas do mesmo, inclusive com os ângulos, logo todas as demarcações têm de estar no terreno.

Finalmente, já tratou de todas as pendências e já comprou o terreno.

Que mais deve fazer?

Agora deve pagar a taxa referente ao registo da escritura de compra e venda que é feita num cartório.

Com a escritura registada em mãos, você deve dirigir-se à Repartição das Finanças e pedir para registar o terreno em seu nome, pois se tal não for feito, os registos continuarão a ter o terreno pertencente ao antigo proprietário.

Para finalizar:

Pensou em tudo isto antes de adquirir o terreno para o seu imóvel?

O seu terreno está bem localizado?

Tratou de toda burocracia necessária?

Caso necessite de alguma ajuda ou aconselhamento, pode entrar em contato com a BRAGANÇA CASAS que, sem qualquer compromisso ou vínculo futuro, está disponível para auxiliar a acautelar todas estas questões e mais algumas que possam virar uma preocupação.

 

 

 

Gostou? Compartilhe:

error: Conteúdo protegido